enfermeira, momentos, vida

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Enfermeira Alucinada

Pequenas histórias da vida de uma enfermeira... pequenos relatos que nos fazem rir, sorrir, reflectir... um momento de desabafo

Enfermeira Alucinada

Pequenas histórias da vida de uma enfermeira... pequenos relatos que nos fazem rir, sorrir, reflectir... um momento de desabafo

08
Out18

Criar o meu negócio

Mamã Tranquila

tipos_empresas.jpg

Tenho andado com a cabeça a mil, porque resolvi correr a trás de um sonho e abrir a minha empresa juntamente com uma amiga que partilha o mesmo sonho ou muito parecido.

Agora, isto dá um trabalhão, pois imaginem eu e ela somos da área da saude e desposto, misturar contabilidade, finanças, legislação.... bla bla bla

Coisas que náo percebo nada....

As ideias estão a surgir e a concretizar se, os planos a serem definidos, ainda tudo no papel mas com certezas em certas decisões...

Agora, quando começo a pensar, que depois vamos ter que encontrar um espaço (ainda jeitoso) e aluga-lo/compra-lo, onde está o pilim, carcanhol, euro, massa, etc...

Numa zona do pais onde só o nome aumenta logo 30% a 50%...

Mas vamos lá ter coragem e pensar uma coisa de cada vez....

EU ACREDITO

17
Set18

Vem ai mais uma greve

Mamã Tranquila

basta.jpg

 E esta semana vem mais uma greve da enfermagem, mais uma neste ano de 2018... o que mudou quase nada, mas mudou alguma coisa....

Continuo a achar que somos uma profissão muito mal paga, muito descriminada na sua importância, estamos num país que só alguns ganham bem e outros ganham para o dia a dia, o que mudar? O que melhorar?

20 anos de profissão sem sair do mesmo sitio, a ganhar como acabada de sair da universidade.... 

Não sou muito de greves, por o meu primeiro pensamento, vai para aqueles que precisam dos cuidados, mas estou desanimada e estou FARTA....

Ainda tenho mais 20 anos pela frente, com mala ás costas para fazer os domicilios.... 

Enfim....

E os novos onde tem o seu espaço se os velhos não saem....

 

Hoje um colega de nome Nuno Correia, publicou no facebook :

 

Oiço e perguntam-me muitas vezes... O que é ser enfermeiro? 
Os enfermeiros ganham bem e não fazem nenhum, que sorte!!!
Porque escolheste isto? 
"Dar picas?" 
"Trocar fraldas?" 
"Querer ser médico e não conseguir?"
"Ah!!! É só folgas!!!"

Confesso que no início estas questões me irritavam um bocado. Doze anos depois começam a ser engraçadas. De tão inconscientes/ parvas que são.

Eu vou-vos explicar o que é ser enfermeira (o).

Aqui, ninguém dá picas meus caros.

Vacina-se, segundo um plano nacional de vacinação,que se trata de injectar uma substância derivada, ou quimicamente semelhante, a um agente infeccioso particular, causador de doença. Esta substância é reconhecida pelo sistema imunitário do indivíduo vacinado e suscita da parte deste uma resposta que o proteje de uma doença associada ao agente. 
A única coisa onde há "picanço" aqui é entre aquilo que injectamos e o vosso corpo responde.
Incrível não é?
Injectam-se também fluidos (alguns até têm cores!!! Imaginem! Que loucura!!!) num acesso vascular que permite curar muitas coisas para que a vida continue. 
E isto sim, dá muita pica. Para quem o faz. E não para quem o pergunta.

Trocar fraldas? Nunca tive uma cadeira na faculdade sobre isso. 
Nem preciso.
É inato ao ser humano. E deve ser dos actos mais dignos que se fazem a alguém. Acreditem. 
A dignidade começa quando conseguimos atingir a incapacidade de alguém.
E talvez um dia percebam, principalmente quando precisarem, o quão gratificante pode ser ter alguém que nos ajude a não perder a dignidade.
Porque sem ela, nada mais importa.

Ser médico e não conseguir? 
For God's sake.
Quem trabalha e desenvolve o conceito de equipa sabe e entende perfeitamente que não seríamos uns sem os outros. E as escolhas foram feitas porque foi intrínseco.
E que não há como nem porquê misturar as coisas. 
É só ridículo. 
A saúde é baseada numa equipa multidisciplinar que luta e trabalha em conjunto todos os dias para salvar alguém. E sim, vai muito além de enfermeiros e médicos.

E não, não somos os anjos super heróis de branco que surgem do nada. Se eu quisesse ser anjo teria tirado o curso da nuvem e neste momento tinha duas asas nas costas, que anatomicamente não me seria muito favorável e estaria a divertir-me a atirar setas.

É acordar, com problemas, como toda a gente, e fazer um reset ao que nos desgasta, e dar o nosso melhor. E acreditem, há dias que não é nada fácil.Mas supostamente tem que ser não é?

É ter a capacidade de lidar com o stress entre a vida e a morte. Saber que o limiar é pequeno e que não pode haver falhas. 
É sentir o arrepio na pele, de quando entra alguém, fechar os olhos e pedir por favor para que não seja ninguém que conheçamos.

É sentir o arrepio de uma frequência cardíaca num monitor que diz zero. E ter que substituir o coração de alguém com as nossas multi mãos e multi conhecimentos para que o sangue circule e que o zero desapareça. Em equipa.

É lidar com a morte. Com decisões difíceis. Com situações difíceis. Com o mais puro e desesperante sentimento humano. 
Engolem se lágrimas, respira se fundo. E siga. 
E há dias muito mais longos que as horas mostram no relógio. 
Garanto-vos.

É abdicar de natais, passagens de ano, feriados, família, amigos, de fins de semana, só para estar ali.
E não, isto não é das coisas que nos tornam incríveis. Foi o que escolhemos.Mas que custam. E muito.

É passar noites em claro, às vezes com um olho aberto e outro fechado, com a consciência de estar sempre alerta para saber identificar focos de risco e evitar tantas desgraças.
E tantas vezes antecipar atitudes.

É ser maltratados. Acontece muitas vezes a quem está na linha da frente.
E é lamentável. É chegar a casa chateado e muitas vezes triste pq nada disto faz sentido. Sim, não faz sentido levar no lombo e mesmo assim gostar!

Também é Dar a mão,a palavra e o sorriso.
A quem nunca teve quem lha desse. 
E as vezes, só isto, cura tanta coisa. Mas tanta coisa.

É malhar duro, em um ou dois ou três sítios sempre com a noção de tentar fazer o melhor porque infelizmente precisamos de outras coisas. Que não precisaríamos se fossemos reconhecidos por aquilo que fazemos.

É receber críticas dos super espertos, que se limitam a observar sem fazer nenhum. Que vida incrível... mas Relativamente a isto, é fácil.

É adoptar uma família num hospital. Inevitável.
É estar fechado 8 ou mesmo 16h com os mesmos.
Aquelas pessoas com vidas mais ou menos complicadas, completamente desaparafusadas dependendo do cansaço físico e emocional e mesmo assim gostar disso e saber lidar com isso.

É mexer o café com seringas. É abrir latas nas portas. É pensar no quão ridículo é o mindset da enfermeira sexy que está no hospital.
Oh meus amigos, isto de sexy não tem nada, e então se forem 5 da manhã nem vos digo, nem vos conto.

É resmungar pela conjuntura actual. 
Ter uma vida nas mãos e não ser na maior parte reconhecido. Às vezes penso que seria mais fácil estar sentado numa secretaria a lidar com papéis, ou a limpar escadas, ou a arquitectar uma casa, ou a resolver tecnologias e/ou a inventar coisas novas!

No entanto quando escolhemos aquilo que somos e queremos ser,nada mais importa.
E então é aqui a parte do: que se lixe o fácil.

E não, não somos a classe mais espetacular do mundo.
Somos apenas "gente que cuida de gente"

Por isso, quando me voltarem a perguntar se dou picas, se sou sexy, se a vida de enfermeiro é top e cheia de folgas...perguntem me antes se realmente vale a pena a pica que isto dá depois de 4 anos a estudar (fora o resto) mais formações, especialidades, investimentos pessoais, aborrecimentos, horas de sono perdidas, horas e horas de vida perdidas para ouvir e responder a estas baboseiras.
E eu respondo: dá.
E sim, somos todos malucos por gostarmos e continuarmos nisto, desta forma.

Feliz dia aos melhores de sempre.
Os meus colegas.

Um dia, este dia, ainda fará mesmo sentido!

SFC

A imagem pode conter: texto
 Talvez seja o dia de pensar em mim e nos que lutam por algo melhor.....
 
14
Ago18

Greve

Mamã Tranquila

keep-calm-enfermeiros-em-greve-1.png

 Pois é, esta semana a enfermagem volta a estar de greve. Para alguns mais uma, para outros faz todo o sentido e para alguns já estão cansados de ficar quase tudo igual.

Ao pensar naquelas que já fizemos, já ganhamos algumas coisitas, muito poucas e muito injustas, quando falamos de uma profissão que acompanha o ser humano em todo o seu ciclo de vida, dando tanto, por vezes de mais...

Mas quem corre por gosto não cansa, segundo o ditado, será mesmo assim?!  Será que nos vamos cansar de tanto dar e depois não receber e não estou a falar de dinheiro, mas sim de valorização profissional, sermos reconhecidos por aquilo que somos...

Somos uma peça fundamental no nosso sistema de saúde, estamos lá sempre 24h, fazemos parte de uma equipa multidisciplinar e em conjunto fazemos verdadeiramente milagres.... será dificil de ver?

Gosto tanto da minha enfermagem, tenho muito orgulho em ser enfermeira, já ando aqui à mais de 20 anos e por vezes acho que parei no tempo da idade média....

Por vezes estou cansada e até desiludida.... será que vale a pena arrastar-me até aos 67 e tal anos....

Acho sem dúvida que merecemos muito mais....

ORGULHO